Articulação Temporomandibular | Imagem por Ressonância Magnética

TemporomandibularA articulação temporomandibular (ATM), classificada como a mais complexa do organismo humano, pode ser acometida pelas mesmas doenças e desordens que afetam outras articulações do sistema músculo-esquelético, como os deslocamentos de disco, doenças articulares degenerativas (osteoartrites), artrites inflamatórias e sinovites. O deslocamento de disco da ATM tem sido definido como uma relação anormal do disco articular com a cabeça mandibular, fossa e tubérculos articulares. É válido salientar que os deslocamentos de disco também podem estar presentes sem causar sintomas e sem interferir com a função articular a curto prazo. As aderências, corpos livres intra-articulares, doenças articulares inflamatórias e degenerativas, sem associação com deslocamento de disco, também podem causar distúrbios intra-articulares. Os deslocamentos de disco da ATM são considerados uma importante causa da dor facial, da ATM, de estalidos, crepitação e disfunção. O exame por ressonância magnética, introduzido em meados dos anos 80, tornou-se o método de primeira escolha para o estudo da ATM quando se deseja pesquisar anormalidades de tecidos moles. É o único exame capaz de apresentar a imagem do disco articular, possibilitando dessa forma, o diagnóstico de seus deslocamentos. Possibilita, ainda, informação a respeito da condição óssea (cortical e medular), degenerações discais, quantidade de fluido sinovial e dos tecidos retro discais. É uma técnica não invasiva que, apesar do alto custo, proporciona série de valiosas informações referentes a estruturas articulares, nos diversos planos. Além disso, apresenta a grande vantagem de não expor o paciente à radiação ionizante, para a obtenção das imagens.

 

Bibliografia: 1. Rev. Cir. Traumatol. Buco-Maxilo-fac., Camaragibe v.10, n.1, p. 103-108, jan./mar. 2010 2. Isberg Annika. Disfunção da Articulação Temporomandibular – Um guia para o clínico. São Paulo: Artes Médicas, 2005.

Por: Dra. Márcia Ribeiro